Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



ENTREVISTA PARA A REVISTA GLAMOUR

Sexta-feira, 25.07.08

                        

 

A última vez que entrevistei a Christina Aguilera para a Glamour, foi em Outubro 2006 e ela estava a preparar-se para a sua tunrê mundial de Back to Basics. Depois de ter assistido ao seu ensaio, nós sentamo-nos no camarim dela e tivemos uma conversa. Naquela altura ela tinha-se confessado como uma viciada no trabalho, com uma queda para os batons vermelhos, saltos altos e unhas impecáveis. Ela raramente me olhava nos olhos durante a entrevista – uma técnica, contou-me ela na altura, que a ajuda a reunir os seus pensamentos – e enquanto ela falava, parecia escolher as palavras com muito cuidado. Quase dois anos depois, eu conheci uma Christina muito diferente: A primeira coisa em que reparei foi que ela me olhou directamente nos olhos – uma grande melhoria.

Ela está relaxada e anciosa por falar sobre a sua vida com o seu filho de 6 meses, Max, e do seu marido de já quase 3 anos, o músico executivo Jordan Bratman. A sua aparência está mais suave também. Ela usa o cabelo preso e pede desculpa pelas suas unhas sem fazer. Mas à medida que falavamos da sua carreira, era claro que a concentração de Aguilera está intacta como sempre: Ela tem feito exercício 90 minutos por dia para voltar a ter o corpo que tinha antes de ter o bébé, sem mencionar o lançamento de um novo perfume chamado Inspire, promover uma linha de jóias com o designer Stephen Webster e trabalhar num novo álbum que está previsto ser lançado no final deste ano. (Oh, e a mulher ainda é uma coruja da noite: Encontramo-nos às 10 da noite num salão em West Hollywood porque ela queria passar todo o dia com o seu bébé Max.) O que mais hà de novo na vida desta mulher de 27 anos? Leia!


GLAMOUR: É obvio que estás de volta a lutar para teu corp voltar à sua forma antiga, então vamos discutir sobre o teu plano de exercícos: boxe, passadeira, flexões, pesos, abdominais.

CHRISTINA AGUILERA: [Risos.] Eu odeio fazer exercíco - tenho de puxar por mim mentalmente à medida que o faço. Eu posso ficar muito queixosa e dizer coisas do tipo, “Eu não consigo fazer isto!”

GLAMOUR: O teu treinador força-te a fazer quando ficas assim?

CA: Não – Eu não consigo lidar com ter alguém a gritar comigo. Treino agressivo não é nada motivador para mim; Eu gosto de ser confortada [quando faço exercício]. Todos os meus treinadores têm de dizer as coisas gentilmente, “Eu quero que faças 200 bicicletas; directamente e não pares.” Aí eu sei que ela tá a falar a sério e faço-o. Quando começei não conseguia fazer flexões como os homens; os abdominais também eram um sacríficio. Agora já consigo fazer 5 seguidas.

GLAMOUR: Estás óptima, Christina. Com que rapidez começaste a notar uma diferença no teu corpo?

CA: Sendo a perfeccionista que sou, a minha actitude era do tipo isto tem de ser rápido – eu quero resultados! A minha treinadora dizia sempre, “Dá-lhe tempo, estás óptima.” Toda a gente à minha volta me dizia que via diferenças, mas sabes como é, somos mais duros conosco próprios. Eu via a minha barriga a ficar mais lisa e firme, e mais definição nos meus músculos.

GLAMOUR: Qual foi a coisa de que menos gostaste no teu corpo pós-parto e qual foi a que mais gostaste?

CA: Bem, eu estava OK com o rabo e o peito! [Risos.] A minha barriga foi mesmo o sítio onde se concentrou todo o meu peso. Contudo, no fim da minha gravidez, eu senti-me mesmo gorda - Eu ganhei à volta de 20 quilos, o que é muito para a minha altura. As minhas ancas também tiveram uma mudança significativa. E os meus pés cresceram de um tamanho 5 para um 7 em sapatos rasos – graças a Deus eles voltaram ao normal. Eu ia ficar muito deprimida se me tivesse que desfazer da minha colecção de sapatos!

GLAMOUR: Vamos falar do teu novo álbum: Podemos esperar ver uma reinvenção de ti mesma como vimos para Back To Basics?

CA: Eu ainda só começei a gravar, mas posso vos dizer que este álbum é muito divertido. Terá referências da Pop Art, e da Andy Warhol. Por isso vai ter um som divertido, e visualmente cheio de cor, o que vai estar relacionado com a minha nova fragrância, Inspire, que estará à venda no próximo mês.

GLAMOUR: Com que então Warhol, Pop Art – terá um som dos anos 60?

CA: Eu quero que seja uma surpresa! Mas também vai ter um toque moderno que provém do meu amor por Tokyo.

GLAMOUR: Eu já vivi lá!

CA: A sério? O Jordan e eu fomos lá de férias. Há tanta energia e emoção.Há milhões de pessoas a andarem por lá – é simplesmente um sítio incrível.

GLAMOUR: Como é que as pessoas reagiram a ti em Tokyo? Devem ter ficado malucas.

CA: Sabes o que é fantástico? Eu sou uma pessoa bastante pequenina, por isso basta eu por um chapeu ou um gorro e passo despercebida.

GLAMOUR: O quê? Isso não me parece possível! Teres sido mãe influenciou a tua música?

CA: Com certeza – o meu menino deu-me uma nova vida por dentro. Essa é uma das razões pelas quais eu decidi ir numa direcção mais divertida para este álbum. Eu falei abertamente sobre a violência doméstica que eu sofri quando era mais criança.

GLAMOUR: Agora que és mãe, é mais duro lidar com esse conceito de abuso?

CA: Sim – até quando vemos as notícias quando ouvimos sobre bébés terem alguma lesão. Claro que temos compaixão pelas crianças, mas quando temos as nossas, sentimos isso a um nível muito mais profundo. Por isso estou motivada para falar nisso ainda mais; para fazer mais trabalho voluntário; para ajudar crianças a encontrarem lares mais seguros.

GLAMOUR: Apesar da tua dura infância, cresceste sendo uma pessoa sólida. O que pensas quando vês pessoas na tua indústria, como a Amy Winehouse, a auto destruirem-se?

CA: Eu não sou uma pessoa que julga os outros, por isso não posso comentar o passado de outra pessoa. Quanto a mim eu acho que sempre tive um forte sentido de personalidade. A minha mãe sempre me fez acreditar que o meu talento é um dom e uma benção. Mas eu já fiz algumas asneiras que nunca faria outra vez.

GLAMOUR: Como o quê?

CA: Quando eu tinha 21 e fiz o Stripped, eu estava com bastante dúvidas sobre alguns problemas pessoais que vinham do meu passado. Eu saia muito e ia a muitas festas – como as pessoas daquela idade fazem – e fiz algumas coisas não-saudáveis para lidar com a dor. Mas eu fui capaz de dizer, “OK, pára.”

GLAMOUR: Mas por algum motivo não foste captada pelas camaras a fazê-lo.

CA: Graças a Deus! [Risos.]

GLAMOUR: Provavelmente não terias escapado com isso agora.

CA: Acho que não. Não foi até à vaga dos reality shows, que a nossa cultura ficou obssecada por celebridades que ficaram malucas. Acho que muitas pessoas caíram nessas coisas.

GLAMOUR: Então como é que hoje em dia fazes para evitar os paparazzi?

CA: Muitas pessoas saem para serem fotografadas; eu faço um esforço consciente para me manter a mim e à minha família longe disso. No outro dia um paparazzo foi ter com o meu marido na rua e disse, “Eu sei que a vossa nova casa é grande, mas eu tenho tentado tirar uma foto vossa à messes e vocês nunca saem de casa!” E é verdade: Eu saio à noite depois de ter passado tempo com o meu filho, mas durante o dia eu fico em casa e levo-o a passear pelo jardin onde ninguém nos vê.

GLAMOUR: Ter tido uma criança mudou a tua relação com a tua mãe?

CA: Deu-me uma compreensão mais profunda das coisas pelas quais ela passou. Ela teve uma infância difícil, e acho que ela queria ter a certeza de que eu não passava pelo mesmo – mas mesmo assim ela acabou por se casar com um abusador. A minha mãe acabou por dar tanto dela para mim que acabou por se esquecer de cuidar dela mesma muitas vezes. Por isso eu tenho o cuidade de tomar conta de mim mesma. Em vez de mudar quem eu sou por causa do Max, eu aplico as lições de vida que eu aprendi.

GLAMOUR: Como é que consegues ter tempo para ti mesma?

CA: É óbvio que eu não fiz nada hoje – não estás autorizado a olhar para as minhas unhas!

GLAMOUR: Como é que a tua relação com o Jordan mudou desde o bébé?

CA: Aproximou-nos – estamos ligados para toda a vida. As relações e os grandes casamentos são processos de crscimento e aprendizagem. Somos uma grande equipa.

GLAMOUR: Então como é que vocês mantêm as coisas sexys hoje em dia?

CA: Temos a certeza de fazer uma noites de saída do Papá e Mamã.. O nosso filho vem em primeiro, obviamente, mas à certas coisas que nós podemos fazer: uma vez que sabemos que ele está em boas mãos, saímos à noite e bebemos algo. E depois vimos para casa, apagamos as luzes e fazemos as nossas coisas – E não dou mais detalhes do que isto!
 

Fonte: Glamour/Aguilera Online

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por *Patricia* às 00:36


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.